Não comece uma banda!

Essa é a proposta da galera do VideoSongsBlog. No post, eles sugerem que uma alternativa para quem tem dificuldades de sustentar uma banda seja produzir vídeos musicais em que os músicos se reúnem virtualmente. Leia a matéria em inglês aqui.

Penso que já não seja uma novidade pra quem curte vídeos amadores da web, pois já é recorrente a composição de músicas através do método VideoSong. Curioso? Clique aqui.

Mas trata-se do seguinte: com um bom software de edição de áudio multipista (Cubase ou ProTools) e outro de vídeo (Final Cut ou Première), é possível gravar uma canção com pessoas dos quatro cantos do mundo! E nem é tão complicado assim. Tem vários métodos, eu sugiro um bem simples:

1) Grave-se em vídeo fazendo uma versão “suja” de uma canção, tipo voz e violão. Use um metrônomo durante a gravação e deixe-o evidente no som. Se possível, grave o áudio com uma placa de áudio profissional. Importe esse áudio para o editor de vídeo e sincronize.

2) Mande esse arquivo de vídeo para amigos que toquem instrumentos diferentes. Aí o baterista da Malásia grava seu vídeo, o baixista de Kuala Lampur o seu, o ukulelelista de Oklahoma o seu. Eles farão que nem você fez no passo 1, mas ouvindo a sua gravação.

3) Peça que seus amiguinhos enviem seus vídeos.

4) coloque todos os vídeos sobrepostos em camadas no editor de vídeo.

5) Como você usou um metrônomo, bastará sincronizar um por um a partir da versão suja que você fe no passo um.

6) Exporte, publique e torça para que o YouTube lhe convide a inserir publicidade no seu vídeo. Somos foda!

Anúncios

A partitura de 4’33”

Pra quem não conhece, eis a aparentemente segunda edição da partitura de 4’33”. Ela é uma versão após a primière da peça, em 1952, Woodstock, New York:

http://www.medienkunstnetz.de/works/4-33/

Tem também ali uma descrição formidável da première, pelo próprio Cage:

As pessoas começaram a cochichar umas com as outras, e algumas foram embora. Eles não deram risada — eles somente se irritaram quando se deram conta de que nada iria acontecer, e eles não se esqueceram disso 30 anos depois: eles ainda estão irritados. [tradução minha] (source: Cage conversation with Michael John White (1982), in Kostelanetz 1988, 66, in: Solomon, Larry J.: The Sounds of Silence, in: http://www.azstarnet.com/~solo/4min33se.htm)