Resumo de “Traduções audiovisuais de 4’33’’ para web.”

Essa semana não conseguimos ler a tempo para nosso PodCast, mas resolvemos então fazer um resumo, ainda que algo se modifique.

Traduções audiovisuais de 4’33

Gabriel Saikoski
Marcelo Bergamin Conter

Este trabalho pretende investigar as condições de possibilidade de tradução audiovisual da peça 4’33’’, de John Cage (1952). Atualmente, no YouTube, encontram-se dezenas de vídeos que são descritos como execuções e variações da peça. Nosso intuito é, a partir de possíveis compreensões do que seja a peça, verificar o que acontece em suas atualizações audiovisuais. De seu devir, o que fica menos potente na tradução, e o que surge como novas potencialidades?

PodCast 3: Reprodução técnica de 4’33”

Clique e ouça na íntegra o PodCast 3. (clique com a direita para download)

O que acontece quando se faz uma reprodução técnica da peça 4’33” de John Cage? É neste desafio que eu e Gabriel nos envolvemos nesta sexta-feira chuvosa de abril. A gente ia na real discutir o texto “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica”, do Walter Benjamin, mas não encontramos muita produtividade no uso do texto para entender as traduções audiovisuais de 4’33”, com exceção de nos perguntarmos especificamente se estas versões podem ser consideradas reproduções técnicas da peça.

Conheça as traduções audiovisuais de 4’33” que encontramos no YouTube.

A partitura de 4’33”

Pra quem não conhece, eis a aparentemente segunda edição da partitura de 4’33”. Ela é uma versão após a primière da peça, em 1952, Woodstock, New York:

http://www.medienkunstnetz.de/works/4-33/

Tem também ali uma descrição formidável da première, pelo próprio Cage:

As pessoas começaram a cochichar umas com as outras, e algumas foram embora. Eles não deram risada — eles somente se irritaram quando se deram conta de que nada iria acontecer, e eles não se esqueceram disso 30 anos depois: eles ainda estão irritados. [tradução minha] (source: Cage conversation with Michael John White (1982), in Kostelanetz 1988, 66, in: Solomon, Larry J.: The Sounds of Silence, in: http://www.azstarnet.com/~solo/4min33se.htm)

Traduções audiovisuais de 4’33”

São muitas as versões de 4’33’’ para web. Mais do que uma homenagem, eles estendem para o mundo virtual a inquietação e a proposta de indissociabilidade de sujeito-objeto de John Cage. E isso que a coleta só conta com vídeos hospedados no YouTube! Outra coisa interessante é notar muito uso de humor e sarcasmo nas interpretações. O silêncio constrange!

Não conhece a peça? Melhor ler antes a Wiki sobre ela!

How to Play 4’33” by John Cage.
Se eu fosse gordo, provavelmente seria como o músico deste vídeo abaixo. De resto, cabeludo, de óculos, barbudo e cara de pau ambos somos.  Ele elaborou um tutorial sarcástico de como tocar a peça. Reparem que, na descrição, ele assume ter cometido três erros durante a execução.

4:33” Andres Torres
Uma das poucas performances que eu encontrei na web que foram registradas ao ar livre. Vale lembrar que a execução original da peça, pelo próprio Cage, foi no Central Park (corrijam-me se estirver incorreto). Notem que também há um certo sarcasmo nesta apresentação.

4’33 Mario Paint Rendition
Esse é um dos meus preferidos. Em 1992, a Nintendo lançou o cartucho Mario Paint para Super NES. Nele, tinha um compositor de partitura. 15 anos depois, o uso desse compositor virou febre entre os internautas, que montavam versões de tudo quanto era música e publicavam no YouTube. Eis que alguém cria, provavelmente, a primeira execução de 4’33” eletrônica orquestrada e regida por ninguém mais ninguém menos que Mario.

4 Minutes 33 seconds
Esta me parece ser a interpretação mais “neutra” para uma versão audiovisual da peça.

4’33” – A Documentary
Um jovem regente, uma orquestra jovem, e espectadores ainda mais jovens. Qual a reação que crianças podem ter desta peça?

A Rendition of John Cage’s 4’33”
Mais uma adaptação de tom sarcástico, e talvez de longe a mais cara de pau. Uma dupla de músicos executam a peça num barzinho.

Violão e bongô

Moonfish playing John Cage’s 4’33”
Ok, se peixinhos podem executar 4’33”, qualquer coisa pode! Bem, mas essa é exatamente a proposta de Cage! Convenhamos, mesmo que a peça seja genial, ele não passava de um bobalhão.

4 minutes 33 seconds by John Cage
Uma amostra de que a execução desta peça pode gerar muita diversão para bebedeiras com a galera em casa.

O próximo passo é escrever sobre tudo isso. Aguardem!

PodCast 1. Obra Aberta (Umberto Eco)

Em 9/4/2010 eu e o Gabriel Saikoski realizamos nosso primeiro encontro de estudos, voltado para análise de adaptações da peça 4’33” de John Cage para vídeos na web. Demos pequenas pinceladas nas introduções do livro “Obra Aberta, do Umberto Eco.

Escute o PodCast (clique com a direita para download)

Leia a ficha de leitura que fizemos do livro  Obra Aberta

Umberto Eco

Obra Aberta – Umberto Eco